Local: Instituto de políticas públicas e relações internacionais-unesp




Дата канвертавання27.04.2016
Памер63.28 Kb.






Apresentação dos resultados dos Grupos de Trabalho I seminário Rede SSAN UNASUL

Local: Instituto de políticas públicas e relações internacionais-UNESP.


19 e 20 de maio, cidade de São Paulo.

2014

Apresentação dos resultados dos Grupos de Trabalho I seminário Rede SSAN UNASUL



1. Grupo Agrobiodiversidade.


A discussão dentro do grupo se orientou com base nos seguintes pontos:



1) Olhando para os diferentes cenários: o que eu conheço? no particular e em meu país.

2) Compor um cenário comum:

Que tipo de parceria pode ser construída?

Como a rede vai funcionar?

Intercâmbio para os projetos e qual o seu desenho?

Com base nos princípios propostos foi feito uma rodada no qual cada um dos membros/instituição fez uma breve exposição das atividades desenvolvidas em seu país/localidade

a) Juan David (FCA Botucatu)

Institucionalmente está vinculado à Universidade Nacional da Colômbia. Expôs um breve histórico do panorama político econômico da Colômbia informando que diversas instituições trabalham o tema da agrobiodiversidade tendo como ênfase na agricultura familiar e que os principais problemas que o setor enfrenta está relacionado à agricultura com cana de açúcar e gado.



b) Juliana Cortez e Antonio Savi (Unesp Itapeva)

Desenvolvem uma linha de pesquisa relacionada a agregação de valor aos produtos madeira e bambu bem como da melhoria das atividades relacionadas a esses produtos uma vez terem identificado que as serrarias operam com baixa qualidade e que o processo de corte da madeira é de baixa eficiência.

Essas atividades se justificam uma vez que os pequenos produtores locais possuem áreas com eucalipto e que estes perdem renda devido as essas ineficiências, nesse sentido, possuem parceria com os as comunidades de Quilombos via Itesp, nesse sentido o combate à desnutrição se dá pelo aumento da renda do produtor;

Atividade já desenvolvidas:

- proposta de projeto para construção em madeira;

- seminário de Segurança Alimentar: broto de bambu como fonte de alimento.

Parcerias identificadas: com a Colômbia, com foco no Bambu.



c) Rosangela Custódio (Unesp Rosana)

Atua com foco no Turismo Rural na região do Pontal do Paranapanema, localidade com forte presença do Movimento Sem Terras com um grande número de Assentamentos Rurais.

Projeto: diversidade da pequena produção como atrativo para o meio rural. Citou como exemplo a Acolhida na colônia (Santa Catarina) que ocorre como atividade turística em pequenas propriedades rurais.

d) Jesus Souza (UFPa / FEA)

Conta com pesquisas desenvolvidas pelo SEVAG, com estudos no controle de qualidade do Açaí notadamente com relação à contaminação com o vetor da Doença de Chagas. Atualmente existe uma parceria tri-partite UFPa/Peru/Bélgica com base na norma ISO 17025. Desenvolve estudos para a melhoria da qualidade do Cacau.

Tem como foco: Engenharia de Alimentos.

e) Roberto Wagner (Unesp Sorocaba)

Discorreu sobre o curso de Engenharia Ambiental, com atuação em mapeamento estatístico. Atualmente desenvolve parceria com a Unesp Itapeva.



f) Genoveva Rossel (CIP /Peru)

Curadora do Banco de Germoplasma de Batata-doce do Centro Internacional da Batata (Peru), descreveu o funcionamento do órgão em preservar a biodiversidade das raízes de Batata, Batata-doce e outros tubérculos andinos, tendo como objetivo o combate à fome, pobreza e segurança alimentar através da preservação da biodiversidade de seu material genético

Esse Centro, que possui escritórios em várias partes do mundo, desenvolve projetos com vários organismos internacionais, como por exemplo, um projeto para o desenvolvimento da batata-doce em países da África como fonte de combate à desnutrição e de outro que é o preparo de materiais resistentes com vistas à mudança climática.

Tem mantido contatos com a Unesp de Registro no sentido de firmar parceria.



g) Pablo Forlan / Luis Carlos (Unesp Registro)

No campus de Registro está sendo desenvolvido, como projeto principal, um banco de germoplasma de Batata. Ao mesmo tempo as iniciativas das comunidades tradicionais vêm sendo incentivadas, como por exemplo, a participação da Unesp na V Feira de trocas de sementes e mudas criolas.

Está sendo mantido contato com o CIP (Peru), conforme previsto no projeto da Rede Unasul o Campus de Registro receberá ao final dessa semana a visita da Curadora do Banco de Germoplasma de Batata-doce que além de conhecer o estado da arte do banco existente em Registro tem programado uma palestra para os professores envolvidos com as atividades da batata-doce e uma visita a uma comunidade de quilombo.

Dessa forma, as gestões de parceria com o CIP (Peru) se encontram adiantadas, da visita ao Campus de Registro deverá sair uma agenda para uma visita técnica ao Peru, no segundo semestre, para conhecimento das atividades desenvolvidas naquele país.



h) Osório Coelho Guimarães Neto (MCTI/SECIS)

O representante do Ministério, como forma de dar resposta aos projetos na área de segurança e soberania alimentar que, ainda que aprovados, não dispõe de recursos para o seu desenvolvimento apresentou a possibilidade dos CVT (Centro Vocacionais Tecnológicos), no qual existem recursos para construção de instalações, equipamentos e bolsas, que teria como público alvo, como por exemplo, os quilombos onde poderiam ser desenvolvidos técnicas, ensino e pesquisa de soluções tecnológicas para esse público, abrindo a possibilidade da Universidade ser um parceiro nessa proposta.



Resultados da discussão do grupo

Propostas: Como articular a rede? Como a rede vai funcionar?

  • Utilização de um Portal que permita colocar materiais e que também permitisse a interação entre os pesquisadores

  • Ferramentas para reuniões on-line periódicas

  • Realização de mais um seminário além do já programado

Parcerias

Ações: Unesp Itapeva:

a) buscar parceria no âmbito da Unasul,



Unesp Registro:

a) estreitamento das relações com a Unesp Sorocaba na área de Georeferenciamento;

b) UFPa, na área de análise química

c) CIP (Peru): Receber professor de Registro no segundo semestre de 2014 e buscar elaborar termo de cooperação



Demais parceiros: manter contato entre eles para definir uma agenda de atividades até o início do 2.o Semestre, ficando sob responsabilidade do Prof. Pablo (Registro) de centralizar as informações

A continuação esta a lista dos participantes neste grupo de discussão.



Tabela 1. Lista dos participantes do Grupo Agrobiodiversidade no I Seminário da Rede SSAN Unasul.

Nome

Instituição

e-mail

Antonio Francisco Savi

Unesp / Itapeva

savi@itapeva.unesp.br

Genoveva Rossel Montesinos

CIP /Peru

g.rossel@cgiar.org

Jesus Nazareno Silva de Souza

UFPa / FEA

jsouza@ufpa.br

Juan David Solano Mendoza

Unesp /FCA Botucatu

juan.solanomendoza@gmail.com

Juliana Cortez Barbosa

Unesp / Itapeva

jucortez@itapeva.unesp.br

Luis Carlos Ferreira de Almeida

Unesp / Registro

luiscarlos@registro.unesp.br

Osório Coelho Guimarães Neto

MCTI/SECIS

ocoelho@mct.gov.br

Pablo Forlan Vargas

Unesp / Registro

pablo@registro.unesp.br

Roberto Wagner Lourenço

Unesp / Sorocaba

robertow@sorocaba.unesp.br

Rosângela Custodio Cortez Thomaz

Unesp / Rosana

rocortez@rosana.unesp.br


2. Grupo Compras institucionais


Este grupo de discussão teve como objetivo a Identificação do trabalho particular e a relação com seu país. Iniciaram com a apresentação da convidada do Uruguai, Maria Ines Gazzano que é professora da Universidade dela República de Uruguai. A mesma falou sobre o contexto econômico e político de seu país e a relação com a academia. Considerou que a mesma tem focado o atendimento à agricultura familiar como uma forma critica o processo de intensificação de produção do país e o distanciamento da cadeia, sustentando novas formas de relação entre natureza e sociedade a partir da Agroecologia – solução (revolução verde – agronegócio) com 2 cursos de pós graduação nesta área.

Apontou que o país tem se espelhado no Brasil, formulando políticas públicas para a AF – mercados institucionais, Plano de Agroecologia e salientou que há um projeto para que 30% das compras institucionais sejam realizadas a partir do fornecimento de AFs para escolas, sanatórios, etc. A alimentação escolar só existe em escolas com horário estendido em contexto critico – baixa renda e na região rural, ou seja, o atendimento é focalizado, frisa que há pouca participação social, pouca pressão social.

O professor José Giacomo Baccarin da UNESP Jaboticabal falou sobre as políticas direcionadas para a AF a partir da década de 1990 no Brasil: Pronaf, preços mínimos, PAA e em 2009, a Lei 11947 30% AF. Necessário para tanto a organização da demanda e da oferta, sendo que o processo anterior de licitação era mais cômodo. Além de outras dificuldades, estão vários conflitos – diferenças entre os atores.

As nutricionistas do Serviço de Alimentação Escolar da prefeitura de São Paulo consideraram que apenas 7% do recurso federal é adquirida da agricultura familiar e que grande parte do serviço é terceirizado e não adquire dos AFs.

As professoras Rozane Triches e Brizabel frisaram a importância dos movimentos sociais: Emater, Sindicatos, ONGs.

O pessoal que trabalha na Supervisão Geral de Abastecimento (era Secretaria) que é responsável pela Política de abastecimento da prefeitura de SP salientou que estarão iniciando o trabalho com o PAA e Banco de Alimentos, implantação do SISAN com diálogos com a Assistência Social (consideraram a dificuldade de diálogos internos dentro da prefeitura). 3.200.000 para o PAA para o Banco de Alimentos.

O Marcos, do Ministério das Relações Exteriores falou sobre os processos de Cooperação técnica internacional com os países da África e América do Sul.



Como funcionará a REDE NACIONAL DE SSAN?

  • Criar uma rede de pesquisadores de compras institucionais Unasul – África. Para tanto, submeter junto com outros pesquisadores do país uma proposta ao Edital Universal CNPQ 2014, formalizando esta parceria, tendo assim recursos para encontros e discussões sobre os projetos de pesquisa, extensão e ensino;

  • Realizar seminários sobre compras institucionais;

  • Realizar workshops para pensar metodologias conjuntas;

  • Criar um ambiente virtual especifico para as compras institucionais – que pode ser dentro da própria Rede SANS com chamadas públicas, artigos, etc.

  • Realizar cursos de formação com gestores, técnicos, agricultores, cozinheiras, etc.;

  • Criar página com as informações dos investigadores;

  • Divulgar dados já existentes: Dropbox com informações dos vários municípios sobre o PNAE – São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

A continuação esta a lista dos participantes neste grupo de discussão.

Tabela 2. Lista dos participantes do grupo Compras institucionais no I Seminário da Rede SSAN Unasul.

Nome

Fone

Email

Jose Giacomo Baccarin

(16) 981152987

baccarin@fcav.unesp.br

Brizabel Rocha

(51) 91405884

brizabel@terra.com.br

Siane Muniz da Silva

(11) 993254040

sianemuniz@ig.com.br

Leandro Costa Cuerbas

(19) 998343049

lcuerbas@gmail.com

Eliana Martins Pinto

(11) 992610592

eliana.martins.nutri@gmail.com

Marcos Lopes

(61) 20309613

marcos.a.lopes@itamaraty.gov.br

Antonio Lázaro Santana

(18) 996657858

lazaro@agr.feis.unesp.com

Rozane Marcia Triches

(46) 99020083

rozane.triches@gmail.com

Ines Gazzano

(5982) 098061819

(5982) 3561066



igazzano@gmail.com

Adriana Miyiko Mori

(11) 991149199

adrianamori@gmail.com

Rosete S de Estefano

(11) 31015426

rosete.nutri@gmail.com

Bernardete Pinheiro

(11) 982161937

3101-5426



bernardeteolp@gmail.com

Marissol Franco Blaisi

(11) 31015426

mblaisi@yahoo.com

3.Grupo Educação e diversidade cultural


Este grupo de discussão estabeleceu 4 eixos temáticos para fazer seu analise.



Diversidade cultural

• Valorização das culturas tradicionais e sua implicação nos hábitos alimentares; A Rede UNASUL deve estabelecer contato e aproximação com os povos tradicionais e com os Movimentos Sociais;

• Incorporar padrões e diversidade dos povos, e dar esse suporte dentro da rede, com seminários, dicas de leituras, produção de guias, cartilhas, cursos de Ead;

• Inserir conteúdos da cultura popular, conhecimento popular, nas ações.

• Incidir na formação transdisciplinar dos Nutricionistas, com ênfase na diversidade cultural.

• Incorporar conhecimento, reconhecimento e valorização de saberes e práticas locais às agendas da pesquisa, da políticas públicas e da práticas educativas;

• Dar suporte aos técnicos, buscando garantir olhares transdisciplinares, por exemplo a antropologia, às perspectivas de SAN;

• Identificar como anda a questão de SAN nos povos tradicionais do Chile (entre outros)

• Estabelecer contato com Coari/AM (300km de Manaus), onde há o único curso de Nutrição da região;

Participação política

• Estudo da rotulagem de excesso de nutrientes críticos;

• Sistematização das experiências de participação política e controle social;

• Trocar experiências sobre a construção dos guias alimentares de cada país e região;



Fortalecimento da rede

• UNILA e Mestrado Territorial como pontos focais para desenvolvimento de projetos e multiplicadores;

• Possibilidade de integração do mestrado da UFPR em SAN com a UNASUL;

• Fortalecimento da Rede na AL, para que seja realmente uma Rede da AL, não deixar que se feche em uma rede brasileira com contribuições pontuais de colaboradores da AL;

• Tratar dos problemas ideológicos, desenvolvimentismo, questão consumidores-cidadãos;

Intercâmbios

• Convidar os parceiros para gravação (vídeo-aulas), produção de materiais educativos para uso nos Ead;

• Nos intercâmbios já previstos ocorrerem pela UNASUL, os visitantes poderiam realizar captações de imagens e depoimentos, não restrito às instituições parceiras;

• Buscar possibilidade de fontes de financiamento para intercâmbios a partir das universidades parceiras, por exemplo a Univ do Chile poderia entrar com uma contrapartida;

• Cada país, cada um dos 25 projetos deve constar no site, com relatos e publicações;

• Dinamizar uma lista de discussão entre os participantes;

• Realizar seminários UNASUL nos países da rede;

• Estimular programas de intercâmbios de alunos entre as Universidades participantes;



• Buscar estabelecer convênios com outras instituições;

Tabela 3. Lista dos participantes do grupo Educação e diversidade cultural no I Seminário da Rede SSAN Unasul




Nome

Instituição

Email

Ruth Irene Martínez Espinosa

Universidad Técnica Particular de Loja. Equador

rimartinez@utpl.edu.ec

Mauricio Rios Hidalgo

Programa FONIS
CONICYT. Chile

mriosh@conicyt.cl

Anna Christina Pinheiro Fernandes

Faculdade Medicina. Universidade de Chile

apinheiro@med.uchile.cl

Horacio Villegas Quino

Universidad Católica Boliviana "San Pablo". Bolívia

horaciovq@gmail.com

Andrea Ciacchi

UNILA

andreaciacchi@uol.com.br

Bernadete Aparecida Caprioglio de Castro

UNESP. Instituto de Geociências e Ciências Exatas de Rio Claro.

bacco@rc.unesp.br

Dionísia Nagahama

INPA

naga@inpa.gov.br

Silvia Justina Papini

UNESP-Botucatu

spberto@fmb.unesp.br

Valdir Gonzalez Paixão

UNESP-Botucatu

valdirpaixao@ibb.unesp.br

Angelina Batista

UNESP-Botucatu

abatista@ibb.unesp.br

Bruno Franques

UNESP-Sorocaba

brunofranques@gmail.com





База данных защищена авторским правом ©shkola.of.by 2016
звярнуцца да адміністрацыі

    Галоўная старонка