Fauna preliminar de cerambycidae (insecta, coleoptera) Às margens do rio madeira, porto velho ro




Дата канвертавання22.04.2016
Памер5.67 Kb.
FAUNA PRELIMINAR DE CERAMBYCIDAE (INSECTA, COLEOPTERA) ÀS MARGENS DO RIO MADEIRA, PORTO VELHO – RO
SOUZA, D.S. diegosantanasouza@hotmail.com

SILVA, A.A. alealsil_bio@yahoo.com.br

MOURA, A.L. anny_unir@hotmail.com

CRUZ, P.V. tiunec@gmail.com

A família Cerambycidae constitui um grupo entre os insetos da Ordem Coleoptera dos mais numerosos, com mais de 25000 espécies descritas e está distribuída por praticamente todo o planeta. Esse grupo possui reconhecida importância em estudos ambientais por sua grande fidelidade ecológica, alta diversidade taxonômica, por serem facilmente coletáveis em grandes amostras e funcionalmente importantes nos ecossistemas. O objetivo desse estudo foi verificar a distribuição e a abundância das subfamílias de Cerambycidae nas margens das áreas de influência direta das futuras instalações hidrelétricas do Rio Madeira, em Porto Velho, Rondônia. O material foi coletado nas margens direita e esquerda do Rio Madeira, em quatro localidades: Mutum-Paraná, Salto Jirau, Jaci-Paraná e Santo Antônio. A margem direita é caracterizada por ter alto grau de antropização, prevalecendo o tipo de floresta secundária. A margem esquerda, apresenta melhor condição de conservação, prevalecendo floresta primária. As coletas foram realizadas durante um ano, de novembro de 2003 a outubro de 2004, totalizando 12 coletas. Foram utilizados dois métodos de coleta: armadilha luminosa modelo “Luiz de Queiroz” e armadilha Malaise. A diversidade, utilizando o índice de Shannon-Wiener (H’), e a abundância relativa, foram calculadas pelo programa de Análise Faunística – ANAFAU. As coletas totalizaram 198 indivíduos. Destes, 92,42% foram capturados com armadilha luminosa e 7,58% com armadilha Malaise. Na margem direita, 112 indivíduos, distribuídos em 6 subfamílias: Lamiinae, Cerambycinae, Parandrinae, Prioninae, Lepturinae e Disteniinae; e na margem esquerda, 86 indivíduos, no entanto, não foram capturadas as subfamílias: Lepturinae e Disteniinae. Na margem direita, todas as subfamílias foram classificadas como muito abundantes e quanto à constância, as subfamílias Lamiinae e Cerambycinae mostraram-se constantes, Prioninae e Parandrinae, acessórias, e Disteniinae e Lepturinae mostraram-se como acidentais. Já na margem esquerda, apenas Lamiinae foi classificada como muito abundante, as demais subfamílias foram comuns. Quanto à constância, das quatro subfamílias coletadas na área, três foram consideradas comuns e Parandrinae foi considerada acessória. O valor de diversidade do índice de Shannon-Wiener (H’) obtido nas duas margens foi maior para a margem direita, H’: 1.15, em relação à margem esquerda, com diversidade de H’: 1.07. Uma provável explicação para isso, é que o índice de diversidade tende a aumentar em áreas perturbadas, durante um determinado período, mas depois, esta diversidade tende a diminuir e estabilizar.


База данных защищена авторским правом ©shkola.of.by 2016
звярнуцца да адміністрацыі

    Галоўная старонка