Protozoologia




Дата канвертавання26.04.2016
Памер35.87 Kb.
TRABALHO DE
PROTOZOOLOGIA

NOMECLATURAS E CLASSIFICAÇÃO DOS PROTOZOÁRIOS


SOLANGE ALVES SANCHES

REALENGO – 1 período

MATRÍCULA: 2008080192

TURMA B

Características gerais
Protozoários são seres unicelulares, na maioria heterótrofos, mas com formas autotróficas e com mobilidade especializada. Esta última serviu de critério para sua taxonomia. A maioria deles é muito pequena, medindo de 0,01 mm a 0,05 mm aproximadamente, sendo que algumas exceções podem medir até 0,5 mm como, por exemplo, os foraminíferos. Sua forma de nutrição é muito diferenciada, pois podem ser predadores ou filtradores, herbívoros ou carnívoros, parasitas ou mutualistas. A digestão é intracelular, por meio de vacúolos digestivos, sendo que o alimento é ingerido ou entra na célula por meio de uma "boca", o citóstoma.

A célula é muito especializada, e cada organela tem uma função vital. O sistema locomotor é um dos mais especializados, com flagelos, cílios, membranas ondulantes, cirros ou pseudópodes. Há um sistema hidrostático, constituído de vacúolos pulsáteis que eliminam o excesso de água que entra na célula por osmose nos protozoários dulcicolas, estabelecendo assim o equilíbrio osmótico. O citoesqueleto também é especializado para manter a forma da célula, emissão de pseudópodes, locomoção, movimentação de vacúolos digestivos, entre outras funções necessárias. Pode haver exoesqueleto em algumas espécies.

Estes organismos estão presentes em todos os ambientes por causa de seu tamanho reduzido e produção de cistos resistentes.

A forma de locomoção é a principal característica taxonômica para diferenciar espécies. São muito usados como indicadores de qualidade do ambiente, sendo que águas poluídas normalmente têm protozoários característicos em abundância.



Classificação

Tradicionalmente quatro grupos de protozoários foram reconhecidos conforme seus meios locomotores: flagelados, amebas, ciliados e formadores de esporos. Sendo assim foram agrupados em:



  • Rhyzopoda: deslocam-se por pseudópode, rizópodes ou axópodes (Rizópodes)

  • Flagellata: utilizam-se de flagelos (Flagelados)

  • Ciliophora: possuem cílios (Ciliados)

  • Sporozoa: desprovidos de aparelho locomotor,o que torna muitas espécies formas parasitárias de vida. (Esporozoários)

Uma classificação mais recente, proposta pela Sociedade de Protozoologistas (1980), reconhece sete filos:

  • Sarcomastigophora

  • Apicomplexa

  • Ciliophora

  • Microspora

  • Labyrintomorpha

  • Mactospora

  • Ascetospora



Rhyzopoda

Compreende os protozoários como as amebas, foraminíferos e tecamebas, que apresentam pseudópodes como organelas de locomoção e captura de alimento. Podem ser encontrados na água doce, salgada, no solo sob a forma de cistos ou no interior de hospedeiros. Possuem geralmente apenas um núcleo, mas pode ocorrer mais de um. Entre os foraminíferos, observa-se a presença de tecas ou carapaças externas (SiO2) com uma ou mais perfurações por onde são emitidos os pseudópodes.

As carapaças dos foraminíferos, quando encontradas formando grandes depósitos em estratos do fundo oceânico, são consideradas pelos geólogos como bio-indicadores da presença de petróleo. Os representantes da Classe Rhizopoda reproduzem-se principalmente por cissiparidade. Entre os foraminíferos, podem ocorrer a metagênese ou alternância de gerações.

Flagelado


Os flagelados (Flagellata), zooflagelados ou mastigóforos (Mastigophora) constituem um grupo taxonómico pertencente aos protozoários. Em alguns sistemas de classificação são considerados como uma classe do filo Protozoa; segundo outros, constitui um filo do reino Protista. A sua locomoção ocorre por meio de um ou mais flagelos, relativamente compridos e com forma de chicote e que também ajudam na captura de alimento e na recepção de estímulos ambientais, projectando também, por vezes, pseudópodes por as mesmas funções. São seres unicelulares, heterotróficos, ainda que alguns apresentem cloroplastos com pigmentos, que lhes permite a síntese do seu próprio alimento. As células têm, geralmente, forma oval, alongada ou esférica, apresentando um único tipo de núcleo e encontram-se envoltas por uma película rígida. Reproduzem-se, normalmente, por cissiparidade ou bipartição, ainda que algumas espécies se possam reproduzir sexualmente através de um processo designado como singamia, ou seja, a fusão de dois gâmetas produzidos por meiose. Alguns flagelados, parasitas, são responsáveis por doenças como a doença do sono, a doença de Chagas ou a giardíase, causada pela espécie Giardia lamblia. Por vezes, se as condições fornecidas pelo hospedeiro não são as ideais, formam quistos.

Ciliado

Os ciliados (filo Ciliophora) são um dos mais importantes grupos de protozoários, com cerca de 12.000 espécies conhecidas e representantes em praticamente todos os ecossistemas aquáticos, marinhos e de água doce e no solo. Várias são parasitas ou comensais de vários invertebrados e outras ainda vivem no tubo digestivo dos mamíferos herbívoros, aos quais ajudam a estabilizar as enormes populações de bactérias simbióticas que digerem a celulose de que eles se alimentam, podendo considerar-se igualmente seus simbiontes. Conhece-se apenas uma espécie que é parasita do homem, o Balantidium coli, o agente da balantidíase ou disenteria balantídica.

Apesar de unicelulares, os ciliados podem ser considerados como protozoários "grandes", com algumas espécies atingindo 2 mm e alguns têm uma estrutura complexa. O seu nome provém da presença de cílios, que ocorrem em todos os membros deste grupo, embora os da subclasse Suctoria os possuam apenas durante uma fase do seu ciclo de vida. Os cílios servem para a locomoção, para se prenderem a um substrato, para a alimentação e como órgãos – aliás, organelos - dos sentidos.

Uma das espécies mais bem estudadas deste grupo é a paramécia, muito comum em charcos de água doce, perto de estábulos ou onde se preparem produtos agrícolas.

Os tintinídeos são ciliados que produzem uma lórica, uma espécie de casca, que se acumula no fundo dos oceanos, permitindo estudar a sua história. Encontraram-se depósitos do período Ordoviciano com mais de 400 milhões de anos.
Apicomplexa
Apicomplexa (do latim apex, ponta ou topo + complex, trançado + a, sufixo) é um grande grupo taxonómico de protozoários, caracterizados pela presença de um complexo apical em algum dos estágios do seu ciclo de vida. São exclusivamente parasíticos e não apresentam flagelos nem pseudópodes, a não ser em certos gâmetas. São geralmente identificados com os esporozoários (filo Sporozoa, reino Protista). Segundo a classificação de Thomas Cavalier-Smith, os Sporozoa constituem, tal como os Apicomonada, um infrafilo do subfilo Apicomplexa.

Muitas espécies são nocivas ao homem causando doenças como a malária causada pelo Plasmodium que é introduzido no homem por meio de esporozoítos através da picada do mosquito do gênero Anopheles.

Possui duas formas de reprodução assexuada: a divisão múltipla e a esporogonia

CLASSIFICAÇÃO





  • Sarcomastigophora (do grego sarkos, carne + mastix, flagelo + phora, possuir) são protozoários unicelulares ou coloniais, autotróficos ou heterotróficos.

Filo Sarcomastigophora

Subfilo Mastigophora - flagelados

Subfilo Opalinata - ciliados

Subfilo Sarcodina – amebóides


  • Apicomplexa (do latim apex, ponta ou topo + complex, trançado + a, sufixo) é um grande grupo taxonómico de protozoários, caracterizados pela presença de um complexo apical em algum dos estágios do seu ciclo de vida. São exclusivamente parasíticos e não apresentam flagelos nem pseudópodes, a não ser em certos gâmetas. São geralmente identificados com os esporozoários (filo Sporozoa, reino Protista). Segundo a classificação de Thomas Cavalier-Smith, os Sporozoa constituem, tal como os Apicomonada, um infrafilo do subfilo Apicomplexa.

Muitas espécies são nocivas ao homem causando doenças como a malária causada pelo Plasmodium que é introduzido no homem por meio de esporozoítos através da picada do mosquito do gênero Anopheles.

Possui duas formas de reprodução assexuada: a divisão múltipla e a esporogonia.


  • Ciliado

Filo: Ciliophora


Os ciliados (filo Ciliophora) são um dos mais importantes grupos de protozoários, com cerca de 12.000 espécies conhecidas e representantes em praticamente todos os ecossistemas aquáticos, marinhos e de água doce e no solo. Várias são parasitas ou comensais de vários invertebrados e outras ainda vivem no tubo digestivo dos mamíferos herbívoros, aos quais ajudam a estabilizar as enormes populações de bactérias simbióticas que digerem a celulose de que eles se alimentam, podendo considerar-se igualmente seus simbiontes. Conhece-se apenas uma espécie que é parasita do homem, o Balantidium coli, o agente da balantidíase ou disenteria balantídica.

Apesar de unicelulares, os ciliados podem ser considerados como protozoários "grandes", com algumas espécies atingindo 2 mm e alguns têm uma estrutura complexa. O seu nome provém da presença de cílios, que ocorrem em todos os membros deste grupo, embora os da subclasse Suctoria os possuam apenas durante uma fase do seu ciclo de vida. Os cílios servem para a locomoção, para se prenderem a um substrato, para a alimentação e como órgãos – aliás, organelos - dos sentidos.

Uma das espécies mais bem estudadas deste grupo é a paramécia, muito comum em charcos de água doce, perto de estábulos ou onde se preparem produtos agrícolas.

Os tintinídeos são ciliados que produzem uma lórica, uma espécie de casca, que se acumula no fundo dos oceanos, permitindo estudar a sua história. Encontraram-se depósitos do período Ordoviciano com mais de 400 milhões de anos




  • Labyrintomorpha

Labyrintomorpha (do grego labyrinthos, labirinto + morphe, forma + a, sufixo) são protozoários não amebóides coloniais, com forma de fuso (ou, em um grupo, oval).

Seu ciclo de vida inclui um estágio de esporos haplóides flagelados. São principalmente saprotrofos marinhos, crescendo sobre gramíneas e algas. Se locomovem no interior de uma trilha de muco anastomosado.


  • Ascetospora

Ascetospora (do grego asketos, curiosamente decorado + sporos, semente) são um pequeno grupo de parasitas, principalmente invertebrados marinhos e de alguns poucos vertebrados, que não possuem flagelos e que produzem complexos esporos uni ou multicelulares que não possuem filamentos eversíveis e enrolados. Se desenvolve em um plasmódio extracelular.




Fonte: Eletrônica- site: http://pt.wikipedia.org


База данных защищена авторским правом ©shkola.of.by 2016
звярнуцца да адміністрацыі

    Галоўная старонка