Parasitologia veterinária modulo I apresentaçÃO




Дата канвертавання25.04.2016
Памер84.81 Kb.




PARASITOLOGIA VETERINÁRIA

MODULO I
APRESENTAÇÃO
Este curso se propõe a prestar informações importantes sobre Parasitologia Veterinária. Este curso foi elaborado pela Profª. Ivonete Parreira, Médica Veterinária – CRMV – Go N. 3996. Caso possuir sugestões ou informações complementares, contate-nos. As referências bibliografias estão no final do último módulo.
ÍNDICE
1 - ARTROPODOLOGIA ...................................................................................................... 03

2- Família Psycodidae ............................................................................................... 03

2.1 - Subfamília Phlebotominae...................................................................... 03

2.1.1- Gênero Lutzomyia....................................................................... 03

3 - Família Culicidae .................................................................................................. 04

3.1 - Culicinae.................................................................................................. 04

3.1.1 - Gênero anopheles..................................................................... 04

3.1.2 - Gênero aedes ........................................................................... 04

3.1.3 - Gênero culex ........................................................................... 04

4 - Família Simullidae................................................................................................. 05

5 - Família Ceratopogonidae..................................................................................... 05

6 – Brachycera ........................................................................................................... 05

6.1 - Subfamília Tabaninae ............................................................................. 06

6.2 - Subfamília Pangoninae .......................................................................... 06

6.2.1 - Chrysops ................................................................................... 06

7 - Cyclorrapha ......................................................................................................... 06

8 - Família Muscidae ................................................................................................ 06

8.1 - Subfamília Muscinae .............................................................................. 06

8.1.1-Musca doméstica ........................................................................ 06

8.2 - Subfamília Stomoxydinae ...................................................................... 07

8.2.1 - Stomoxys calcitrans ................................................................. 07

8.2.2 - Haematobia irritans ................................................................... 07

9 - Família Calliphoridae ............................................................................................ 07

9.1 - Cachliomyia hominivorax ....................................................................... 07

9.2 - Cochliomyia macellaria............................................................................ 08

9.3 – Chrysomyia.............................................................................................. 08

9.4 – Lucília ...................................................................................................... 08

10 - Família Sarcophagidae....................................................................................... 08

10.1- Sharcophaga........................................................................................... 08

11 - Família Cuterebridae........................................................................................... 08

11.1 – Dermatobia............................................................................................. 08

12 - Família Oestridae................................................................................................ 09

12.1 - Oestrus ovis........................................................................................... 09

13 - Família Gasterophilidae..................................................................................... 09

13.1 - Gasterophilus nasalis ........................................................................... 09

14 - Família Pulicidae.................................................................................................. 09

14.1- Gênero Pulex.......................................................................................... 09

14.2- Xenopsylla cheops ............................................................................. 10

4.3 - Ctenocephalides canis............................................................................ 10

14.4 - Ctenocephalides felis.............................................................................. 10

15 - Família Tungidae................................................................................................... 10

15.1 Tunga penetrans ....................................................................................... 10

16 - Família Haematopinidae....................................................................................... 10

17 - Família Linognathidae.......................................................................................... 10

18 - Família Ixodidae.................................................................................................... 11

18.1- Ixodidae..................................................................................................... 11

18.1.1 - Boophilus microplus................................................................. 11

18.1.2 - Amblyoma cajennense ............................................................. 11

18.1.3 - Anocentor nitens....................................................................... 12

19 - Família Argasidae................................................................................................. 12

19.1 - Rhipicephalus sanguineus..................................................................... 12

19.2 - Argas miniatus ........................................................................................ 12

20 - Família Democidae................................................................................................ 12

20.1 Demodex..................................................................................................... 12

21 – Sarcoptes.............................................................................................................. 12

21.1 - Sarcoptes scabei .................................................................................... 13

21.2 - Notoedres cati ........................................................................................ 13

21.3 – Knemidocoptes....................................................................................... 13

22 - Família Psoroptidae.............................................................................................. 13

22.1 - Sarna psoróptica .................................................................................... 13

22.2 – Chorioptes............................................................................................... 13

22.3 – Otodectes................................................................................................ 14

1- ARTROPODOLOGIA

Artrópodes com o corpo dividido em três partes bem distintas : cabeça, tórax e abdome. Possuem um par de antenas (díceros), tórax formado por três metâmeros, cada um com um par de patas, as dimensões variam de 0,21 a 300 mm, respiram por meio de traquéias. As peças bucais variam de acordo com o regime alimentar, podem ser mastigadores, trituradores, lambedores, bebedores, picadores ou sugadores.

Nemato- fio

Keras – chifre/ antenas

São mosquitos transmissores de doenças

Conceitos básicos - Ortorrafos de corpo liso, dimensão reduzida, antenas com mais de seis artículos, pêlos curtos nas fêmeas e longos, abundantes e plumosos nos machos. Os olhos são ausentes ou não funcionais, o aparelho bucal e picador ou sugador, tórax com pró e metatórax reduzidos, mesotórax desenvolvido, asas membranosas revestidas de pêlos ou escamas, segunda nervura bifurcada, balancins ou alteres bem visíveis, patas longas, fêmeas hematófagas, machos frutíferos, pupa livre e móvel, adultos emergem do pupário em T.

2- Família Psycodidae

Apresentam pequena dimensão, corpo piloso, antenas longas (16 artículos), nervuras longitudinais em linhas retas, patas compridas e delgadas revestidas de longas cerdas e escamas, longevidade pequena ( duas a quatro semanas).


2.1 - Subfamília Phlebotominae

São conhecidos também como “arrepiado”, “asa dura”, “asa de palha”, “cangalhinha”, “mosquito palha”, “flebótomo”.



Morfologia: Cor castanho-clara ou palha, corpo piloso, cabeça pequena ou cilíndrica, a fêmea apresenta aparelho bucal complexo, nos machos é menos importante, olhos afastados nos dois sexos, palpos com cinco artículos, asas grandes lanceoladas, pilosas nas bordas, seis nervuras longitudinais, paralelas, balancins grandes, medem 2 a 3 mm.

Hospedeiros: homens, mamíferos e aves.

Habitat: São de hábitos noturno, durante o dia ficam escondidos nas casas, estábulos etc.

Ciclo - A fêmea é fecundada, suga sangue, a maturação dos ovos é rápida, põe de 15 a 40 ovos diários em matéria orgânica em decomposição, a eclosão ocorre à noite após 5 a 20 dias após a postura. A larva realiza quatro mudas até pupa ou ninfa, seu aparelho bucal é mastigador e se alimenta de fezes , fica imóvel para transformar-se em ninfa, imago eclode após 6 a 18 horas numa fenda em T, fêmeas vivem 30 dias, os machos apenas 4.

Importância: Hospedeiros de LESHMANIAS.

Profilaxia: Inseticidas, limpeza de lugares úmidos, combate das larvas com criação de peixes.
2.1.1- Gênero Lutzomyia

A segunda nervura longitudinal da asa é bifurcada, asas alongadas e estreitas, dentes horizontais e dispostos em série transversal, larvas com quatro cerdas caudais, transmite o vírus da estomatite vesiculosa dos animais.


3 - Família Culicidae (Mosquitos ou pernilongos)

Nematóceros: 4mm a 1cm de comprimento, corpo revestido de escamas, tromba reta nos hematófagos e curva nos não hematófagos.

Dividem-se em Culicinae e Anophelinae



3.1 - Culicinae: (muriçoca, pernilongo) 1 cm, cabeça, tórax, asas e abdomes revestidos de escamas, olhos compostos, antenas longas ( diferente nos dois sexos) machos apresenta longos pêlos (plumoso) fêmea tem menos pêlos (curtos). As asas são estreitas, longas e membranosas, seis a oito nervuras, abdome longo e fino.
3.1.1 - Gênero anopheles (mosquito)

Corpo fino, pernas delgadas e longas (pernilongos) asas longas e estreitas, nervuras com escamas brancas e escuras ( manchas ).



Hospedeiros: homens e animais
3.1.2 - Gênero aedes (mosquito)

Cor escura, olhos separados por uma faixa, palpos mais curtos do que a tromba, as asas não possuem manchas, tórax com decoração variável, põe ovos sobre a vegetação, 4 a 5 mm de comprimento. Transmite FEBRE AMARELA E FILARIOSE.



Hospedeiro: homem.
3.1.3 - Gênero culex (mosquito)

Olhos contíguos, machos têm palpos longos em relação a probóscida, nas fêmeas são mais curtos, machos com antenas plumosas. Tórax sem decoração, asas sem manchas, 4 a 5 mm.

Transmitem FILARIAS.

Hospedeiros: homens e animais
Biologia da subfamília culicinae

Possuem o hábito de atacar homens e animais, são encontrados nas casas, são de hábitos noturnos.



Ciclo: Saem do pupário e copulam, as fêmeas põem de 140 a 400 ovos por vez, ingerem sangue para a maturação dos ovos.

Os ovos são postos sobre a água ou em vegetação próxima. As águas correntes são evitadas

Ovos na superfície da água - anophelini

Ovos formando jangadas sobre a água – culex

Ovos sobre a vegetação próximo a água – Aedes

As larvas ao eclodirem se alimentam de microorganismos na água. Os anopheles não possuem sifão, os culicinae possuem sifão respiratório. A pupa é livre e móvel, eclodem numa fenda em T, vivem dois meses no verão e seis meses no inverno.

Profilaxia : inseticidas, telas nas janelas, mosquiteiros, eliminar águas paradas, controlar as larvas com utilização de peixes. Óleo sobre a água mata as larvas pois impedem que elas respirem.
4 - Família Simullidae (“borrachudos”, “ piuns”)

Os representantes desta família possuem pequenas dimensões, 1 a 6 mm, cabeça pequena, olhos compostos, holópticos nos machos e dicópticos nas fêmeas, ocelos ausentes, antenas robustas, probóscida curta, palpos com 4 artículos, tórax abaulado, asas grandes e largas, patas robustas, abdome com 8 metâmeros, ovos triangulares. As larvas possuem cerdas laterais, antenas finas e curtas, pupas são encontradas em pedras nos córregos, também em cachoeiras, possuem hábitos diurnos e as fêmeas são hematófagas.

São transmissores de hematozoários – oncocercose e leucocitozoonose.

Biologia: nutrição: machos e fêmeas recém nascidos nutrem-se de néctar. As fêmeas após a cópula se alimentam de sangue.

Ciclo: Três dias após a hematofagia a fêmea faz a postura sobre folhas de vegetais aquáticos, preferem águas correntes, os embriões nascem e caem na água . A larva fica sob a água e retira seu alimento da correnteza , eclode da pupa em uma bolha de ar. O ciclo completo leva 30 dias.

Patogenia: a picada pode provocar dispnéia, edema pulmonar, equimoses, pneumonia, hepatite e nefrite.
5 - Família Ceratopogonidae (“mosquito pólvora”, “maruim”)

Possuem de 1 a 2 mm, corpo escuro e rechochudo, cabeça arredondada, antenas com 13 a 15 artículos, plumosas nos machos e pilosas nas fêmeas, tromba quitinizada, palpos com 5 artículos, tórax nu, dorsalmente possui desenhos característicos, patas robustas, asas com manchas escuras com pêlos longos nas extremidades, nervuras sem escamas.



Hospedeiros: homens, mamíferos e aves.

Nutrição: fêmeas hematófagas, machos sugadores, a picada é dolorosa e forma pápula.

Ciclo: as fêmeas colocam de 30 a 120 ovos sobre vegetação abaixo da superfície de águas paradas ou sob cascas de árvores apodrecidas. As fêmeas vivem em torno de 40 dias e fazem sete oviposturas , os ovos são em forma de banana, brancos, escurecem posteriormente. Apresentam larvas vermiculares transparentes que se alimentam de plâncton, movimentam-se por sacudidelas. As pupas são imóveis e flutuantes, ou só imóveis para aquelas que vivem em terra úmida. Nascem em 3 a 15 dias.

Profilaxia: Não é tarefa fácil, é preciso drenagem e limpeza de lugares alagados, usar inseticidas para eliminar os criadouros.
6 - Brachycera (“mutuca”, “mosca do cavalo”).

Morfologia: Cabeça semicircular mais larga que o tórax e o abdome, antenas curtas com 3 artículos, olhos compostos grandes, fêmeas dicópticas e machos holópticos, armadura bucal picadora-sugadora, 2 mandíbulas, 2 maxilas, 2 palpos e 1 lábio.

Os machos e fêmeas se alimentam se néctar, as fêmeas tornam-se hematófagos para a maturação dos ovos. São silvestres, diurnos e possuem picada dolorosa.



Ciclo: Ovo-larva-pupa-imago normalmente tem duração de 2 anos, em climas quentes pode se feito em até 4 meses. A fêmea Poe os ovos sobre plantas aguáticas, a larva cai e enterra-se no lodo, é carnívora e mastigadora , podem ser aguáticas, semi-aguáticas ou terrestre.
6.1 - Subfamília Tabaninae

Tabanus - mosca que persegue o gado.



Morfologia: Porte médio ou grande, cor escura, cabeça mais larga que o tórax, ocelos ausentes, asas com dois lobos, clara com pequenas manchas.

6.2 - Subfamília Pangoninae

6.2.1 - Chrysops

Morfologia: Porte médio, cor preta, manchas amarelas extensas, cabeça da mesma largura do tórax, antenas finas, mandíbulas e maxilas longas, asas manchadas de preto.

Importância: A picada dos tabanídeos é dolorosa e a saliva possui substâncias anti- coagulantes, mudam rápido de lugar causando várias úlceras, causam irritação e desassossego aos animais. Atacam bovinos, eqüinos, caninos e homem, são encontrados nos bosques úmidos.

Podem transmitir: Trypanosoma evansi, anemia infecciosa eqüina, veicula o berne.
7 - Cyclorrapha (“mosca domestica”, “mosca dos estábulos”)

Morfologia: Cabeça distinta e móvel , dois grandes olhos compostos e três ocelos, cavidade oral inferior, não possui mandíbulas nem maxilas, possui um par de asas funcionais, um par de halteres, um par de estigmas respiratórios.

Ciclo: Holometábolo. Ovos- larva- pupa- adulto.

As larvas são vermiformes, acéfalas, terrestres, nutrem-se de matéria orgânica em decomposição, tecido vivo necrosado e tecidos vivos.


8 - Família Muscidae

Moscas de tamanho médio



8.1 - Subfamília Muscinae

Morfologia: Peças bucais para aspirar substâncias fluídas na superfície do corpo como suor, lágrimas, serosidades da pele, sangue de ferimentos.

Musca: Coloração cinza-escuro com reflexos amarelados no abdome, tórax com 4 faixas pretas longitudinais, arista plumosa, larva coprófaga e as vezes carnívora.

8.1.1-Musca doméstica: Arista plumosa, tromba mole, machos holópticos, fêmeas dicópticas, asas manchadas, corpo cinza-escuro, sem brilho metálico, tórax com 4 faixas pretas longitudinais e paralelas, patas escuras.

Comportamento biológico: larvas em matéria orgânica em decomposição, as moscas alimentam-se de substâncias corpóreas e orgânicas em decomposição, o líquido é armazenado e regurgitado em forma de pontos pretos, boa disseminadora de patógenos.

Ciclo: A mosca deposita seus ovos (brancos) em matéria orgânica em decomposição (esterco, lixo) põe aproximadamente 120 a 150 ovos por vez, as larvas são brancas e alimentam-se por 24 horas e ocorre a primeira muda em 72 horas, surge a pupa (lugares secos, arenosos ou em terra fofa), a pupa dura 5 dias. O ciclo de ovo até adulto gira em torno de 8 a 12 dias.
8.2 - Subfamília Stomoxydinae

Morfologia: Armadura bucal picadora, tromba queratinizada, os adultos são parasitas temporários intermitentes, atacam homens, bovinos e eqüinos.


8.2.1 - Stomoxys calcitrans

Mosca dos estábulos, semelhante à doméstica, tem tromba rígida picadora. E encontrada durante os meses quentes nas estrebarias, a larva evolui no esterco (são coprófagas) a mosca adulta é hematófaga.



Ciclo: A fêmea faz a ovipostura em terrenos arenosos e úmidos, a larva é lisa, possui ganchos bucais.

A stomoxys é hospedeira intermediária de Habronema – vetor do bacillus antrachis e também veicula ovos de Dermatobia.


8.2.2 - Haematobia irritans

Mosca do chifre.



Morfologia: Semelhante a mosca doméstica, cor preta, lábio espesso, palpos quase do tamanho da tromba, nervuras nas asas semelhantes à stomoxys.

Hospedeiros: Bovinos, caprinos, eqüinos e caninos. Andam aos bandos, pousam sobre a cabeça e dorso, procuram as partes mais protegidas do sol, atacam também abdome e outras regiões do corpo, só abandonam o hospedeiro para ovipostura. São hematófagos e gastam de 10 a 20 minutos para obter uma refeição completa, cada mosca dá 40 picadas em média.

Ciclo: A ovipostura é feita em fezes frescas. Os ovos são depositados de 4 a 6 por vez podendo chegar a 24 ovos. Cada fêmea põe 400 durante sua existência, os ovos são castanho-avermelhados, eclodem em temperatura de 24 a 26 graus em 24 horas. A larva (3 a 5 dias ) alimenta-se nas fezes e depôs pupam ( 4 a 8 dias ) o adulto emerge e procura o gado para alimentar-se . O ciclo de Ovo a ovo vai de 10 a 15 dias.
9 - Família Calliphoridae (Mosca varejeira)

As moscas apresentam um colorido metálico, azul ou verde, tamanho médio, peças bucais sugadoras, arista plumosa, notopleura com duas cerdas.



9.1 - Cachliomyia hominivorax

Morfologia: A região inferior é provida de pêlos amarelo-escuros, fêmea com nervura dorsal de cor preta e desprovida de pêlos na base. Tórax de colorido metálico azul esverdeado com três faixas longitudinais, os metâmeros abdominais são desprovidos de pêlos, seu tamanho varia de 8 a 10 mm.

Hospedeiros: Homens e animais. As moscas deste grupo só realizam posturas em ferimentos recentes, a larva nutre-se do tecido muscular, os adultos se alimentam de néctar e secreções de feridas.

Ciclo: A fêmea é fecundada uma única vez na vida, ocorre no terceiro ou quarto dias da saída do pupário, inicia a postura aos 7 dias de idade. A fêmea armazena aproximadamente 2800 ovos e efetua várias posturas em diferentes locais em intervalos de 3 a 4 dias. A postura é feita na margem de lesões ou cavidades naturais. As larvas surgem dentro de 12 a 24 horas e se fixam nos tecidos, os espiráculos ficam voltados para fora. A larva L1 evolui e realiza 2 ecdises - L3 (6 a 7 dias) abandona o hospedeiro para pupar no solo ( 6 a 8 dias). O ciclo completo ocorre entre 21 a 23 dias e os adultos podem ter uma vida de 60 a 70 dias.
9.2 - Cochliomyia macellaria (Mosca)

Morfologia: Pêlos amarelos, fêmea com nervura costal de cor amarelo-alaranjada, tórax de colorido azul esverdeado com três faixas pretas longitudinais, abdome com pêlos, miíase secundária (larva).


9.3 - Chrysomyia (Mosca)

Tórax e abdome metálico brilhante, larvas necrófagas.



9.4 - Lucília ( Mosca)

Colorido metálico verde ou azul, arista plumosa, tórax sem faixas pretas longitudinais, larvas necrófagas, responsáveis por miíases cutâneas, cavitárias e intestinais.


10 - Família Sarcophagidae (Moscas)

São de cor cinza-escuro, tórax com 3 faixas longitudinais pretas, abdome xadrex preto e branco, arista plumosa, olhos separados, lambedora, calípteras bem desenvolvida, larvas cilíndricas com antenas curtas, larvas carnívoras em material em decomposição.


10.1- Sharcophaga

Morfologia: cabeça quadrangular, tórax cinzento com três faixas longitudinais pretas, abdome xadrezado, fêmeas maiores que os machos. As larvas são carnívoras.

Ciclo: as fêmeas são larvíparas e podem por até 50 larvas de cada vez, as larvas são depositadas em cadáveres e em feridas, é de interesse veterinário e na medicina legal.

As larvas completam seu ciclo em 10 a 50 dias dependendo da temperatura e do alimento disponível. As larvas maduras caem ao solo penetram na terra fofa para pupar.


11 - Família Cuterebridae (Moscas)

São moscas grandes, peças bucais atrofiada, arista plumosa, fêmea com ovipositor não visível, a larva é um parasita obrigatório da pele, os adultos são de vida livre.


11.1 - Dermatobia (Mosca berneira)

Morfologia: Corpo recoberto de pêlos curtos, abdome com reflexos metálicos, peças bucais pouco desenvolvidas. Essa mosca é robusta, a cabeça e as antenas são amarelas com arista plumosa na face dorsal, os olhos apresentam uma faixa escura no centro, o tórax é castanho escuro azulado, as asas são castanho claras, o abdome azul metálico é recoberto de curtos pêlos pretos.

Hospedeiros: Bovinos, caninos, homem, ovinos, felinos, raramente eqüinos.

Ciclo: Os adultos copulam várias vezes, a fêmea inicia a oviposição após 2 dias ( 250 a 400 ovos durante sua existência). A dermatobia captura um inseto menor durante o vôo e deposita ovos em seu abdome com o opérculo voltado para trás. Os ovos ficam aderidos ao inseto. Cinco a doze larvas se formam e abandonam o inseto quando esta pousa em algum hospedeiro. As larvas podem aguardar 20 a 24 dias no interior do ovo, a larva penetra a pele intacta ou lesada, se alimenta de tecido vivo, cresce, possui uma abertura pela qual ela respira. Em oito dias a larva sofre a primeira muda, em 15 a 30 dias sofre novas mudas e abandona o hospedeiro quando está madura, tem um aspecto volumoso e cheia de espinhos. A larva madura cai ao solo para pupar ( 22 a 40 dias). O imago deixa a pupa nas horas de maior calor e 24 horas após realiza a primeira cópula. O ciclo completo gira em torno de 120 dias.
12- Família Oestridae ( Moscas)

12.1 - Oestrus ovis (Mosca nasal das ovelhas)

Morfologia: cabeça larga, antenas curtas, patas curtas, célula apical fechada. O adulto é de cor castanha, apresenta arista nua, face dorsal do tórax com pequeninos tubérculos pretos arredondados, pernas amarelas, asas incolores e abdome com brilho prateado.

Hospedeiros: ovinos e caprinos.

As larvas são parasitos obrigatórios dos seis frontais. A mosca pode viver entre 5 a 30 dias.



Ciclo: As moscas depositam larvas nas narinas dos ovinos e caprinos. A L1 migra para a cavidade nasal, seis frontais e seios maxilares (L2 e L3), está migração ocorre entre 25 a 35 dias. O estágio de pupa leva de 3 a 8 semanas.
13 - Família Gasterophilidae (moscas)

São moscas de tamanho médio semelhante a abelhas, cor escura.



13.1 - Gasterophilus nasalis

Ocorre em todo o Brasil.



Morfologia: Cor escura e pilosa, tórax castanho escuro, asas pequenas, claras e transparentes, abdome castanho.

Hospedeiro: duodeno de eqüinos.

Ciclo: As fêmeas põem seus ovos na região submandibular ( 400 ovos por fêmea ) os ovos eclodem entre 5 a 10 dias, as larvas migram para a mucosa oral ( 3 a 4 semanas ) por entre os dentes molares. A L2 migra para a faringe e são deglutidas. Para chegar a L3 leva de 10 a 12 meses, a L3 é então eliminada nas fezes e vão pupar no solo ( 20 a 35 dias). Os adultos não se alimentam, ficam circundando o animal até depositarem seus ovos, vivem de 14 a 20 dias.
14 - Família Pulicidae (pulgas)

Ectoparasitas obrigatórios de aves, mamíferos, homens. Apresentam pequeno corpo comprimido, antenas em fosseta, picadores ou sugadores, pernas longas.


14.1- Gênero Pulex (pulgas)

Morfologia: Corpo ovalado, castanho escura, cabeça arredondada, uma cerda anterior aos olhos e uma no occipício, a fêmea é maior que o macho.

Hospedeiros: Homens, suínos, caninos e felinos.

Importância: Não é boa transmissora de peste bubônica, são hospedeiras intermediárias de dipylidium canino.
14.2- Xenopsylla cheops (pulgas)

Morfologia: Não possui ctenídeos, apresenta de cada lado do occipício fileiras de cerdas dispostas em V. Macho com cerda não inserida e a fêmea com corpo da espermateca muito maior que o apêndice.

Hospedeiros: Homens e ratos.

É boa transmissora de peste bubônica.


14.3 - Ctenocephalides canis (pulgas)

Morfologia: Castanho-avermelhada, cabeça alta e curta, ctenídeo formando por 7 a 9 cerdas curtas em cada lado.

Importância: Hospedeiras intermediárias de cestódeo Dipylidium caninum e dos nematódeos Dirofilaria immitis e Dipetalonema reconditum.
14.4 - Ctenocephalides felis (pulgas)

Assemelha-se a canis, cabeça mais baixa e mais longa na fêmea. Os hospedeiros são felinos, caninos e homem.


15 - Família Tungidae

15.1 Tunga penetrans

Morfologia: Nome vulgar é Bicho de pé, muito pequena, fronte angulosa, olhos pequeninos, abdome da fêmea aumenta quando fecundada, 1 mm de comprimento.

Hospedeiros: suínos, caninos e homem.

Ciclo: Ovo – larva (L1, L2, L3) pupa e adulto.
16 - Família Haematopinidae (piolhos)

Morfologia: Olhos rudimentares ou ausentes, ocelos ausentes, tromba longa, 3 pares de patas semelhantes, tarsos com uma unha, abdome com placas tergais e paratergais.

Haematopinidae sui parasita suínos, possui cabeça e abdome de cor cinza, tórax castanho, patas amarelo escura, abdome oval. Haematopinus eurystemus possui cabeça e tórax amarelo escura, cabeça redonda, abdome acinzentado e oval, parasita base dos chifres, cauda e pescoço de bovinos. Haemotopinus asini parasita eqüinos.
17 - Família Linognathidae

Morfologia: Desprovidos de olhos, antenas com 5 artículos, primeiro par de patas mais fino, estigmas grandes.

Hospedeiros: Bovinos, ovinos e caprinos.

Ciclo: Ciclo completo em 21 dias. A cópula ocorre 10 horas após o surgimento do imago, a fêmea se fixa sobre o dorso do macho, a ovipostura se inicia após 4 dias, cada fêmea copula várias vezes e Poe aproximadamente 20 ovos por dia, durante 30 a 40 dias. A fêmea deposita seus ovos na base dos pêlos, tem forma de tonel. Os ovos eclodem em 8 a 10 dias em temperatura entre 27 a 30 graus. As ninfas são miniaturas, não apresentam órgãos reprodutores.

Importância: Saliva irritante, intenso prurido, animal morde o local da picada provocando ferimentos, não permite a tranqüilidade do animal, o animal diminui a iniciativa de alimentar-se, queda de produção de leite, carne etc. Alguns são transmissores de doenças como a peste suína e tifo.
18 - Família Ixodidae (carrapatos)

Importância: São parasitas obrigatórios de vertebrados, mamíferos, aves e répteis, causam muita injúria ao hospedeiro, a picada produz irritação local, desvalorização do couro, anemia, inoculação de toxinas, transmissão de vírus, riquétsias, bactérias e protozoários, são responsáveis por doenças graves.

Morfologia: gnatossoma com peças bucais, armadura bucal consta de quelíceras, palpos e hipostômio.
18.1- Ixodidae – carrapatos duros, são parasitas de grande dimensão.

Ciclo: A fêmea fixa-se no hospedeiro e assim permanece até o momento da fertilização, o acasalamento ocorre no hospedeiro, a cópula é de aproximadamente 36 horas. A fêmea depois de fecundada é ingurgitada, desprende-se do corpo do hospedeiro, cai ao solo, procura um lugar para fazer a ovipostura. Ela Poe milhares de ovos em vários dias, logo após morre. A larva sai do ovo e sobe pelos capins ficando a espera de hospedeiro. Localiza um hospedeiro e então se alimenta tornando-se ninfa, logo após torna-se imago. O imago fêmea ingurgita e começa novo ciclo.
18.1.1 - Boophilus microplus

Morfologia: Escudo castanho avermelhado, apêndice caudal, palpos curtos, hipostômio tem 4 série de dentes. É transmissor de babesia bigemina, B.bovis.

Hospedeiro: Bovinos e outros mamíferos domésticos ou selvagens.



Ciclo: Exige um único hospedeiro (monoxeno), os machos são encontrados fixos sob as femeas. A fêmea ingurgitada cai ao solo, entre 2 a 6 dias Poe 3000 a 4000 ovos, o período de postura dura 15 a 20 dias. O período de incubação vai de 6 a 7 dias, depende da temperatura. Em 4 a 6 dias as larvas sobem ao capim e encontram o hospedeiro, fixam-se no períneo e barbela e alimentam-se de linfa. Ciclo completo em 21 dias. São transmissores de babesia.
18.1.2 - Amblyoma cajennense (“carrapato estrela”, “carrapato do cavalo”)

Morfologia : corpo oval, escudo escuro no macho em forma de estrela.

Hospedeiro: eqüinos e suínos.

Ciclo: Carrapato de três hospedeiros (heteroxeno), as mudas ocorrem no solo, cada fêmea Poe aproximadamente 7700 ovos, as larvas atacam mamíferos, alimentam-se entre 3 a 5 dias e caem ao solo, mudam para ninfas. As ninfas encontram novo hospedeiro e ficam de 5 a 8 dias se alimentando, caem novamente e se transformam em machos ou fêmeas adultos ( micuins ou carrapatinhos).

Importância : São transmissores de babesia equi.
18.1.3 - Anocentor nitens

Hospedeiro: eqüinos ( principalmente pavilhão auricular)



Ciclo: Ocorre em um único hospedeiro, a fêmea Poe 3000 ovos, o macho vive 100 dias, os adultos copulam 2 dias após o nascimento, o período de pré postura é de 3 a 15 dias.
19 - Família Argasidae (Carrapatos moles)

Ausência de escudo, rugoso, após a ovipostura a fêmea não morre.



Ciclo: Os adultos permanecem durante o dia escondidos nas frestas dos galinheiros, sob pedaços de madeira e nos ninhos, a cópula é fora do hospedeiro. A noite sugam o hospedeiro ( aves) por 30 minutos. Após se alimentarem as fêmeas iniciam a ovipostura. A incubação depende da temperatura e umidade do ar. Após 21 dias eclodem as larvas que procuram o hospedeiro para se alimentar. Permanecem nas aves de 5 a 10 dias, logo após se desprendem e vão se esconder. Após 7 dias se transformam em ninfas ( 2 estágios). Voltam ao hospedeiro e se alimentam entre 30 a 60 minutos. Após 14 dias surgem os adultos.

Importância: irritam as aves e transmitem doenças.
19.1 - Rhipicephalus sanguineus

Carrapato vermelhão do cão.



Morfologia: Escudo dorsal, castanho, placas adanais são triangulares, medem 3,3 mm e as fêmeas de 3 a 11 mm.

Hospedeiros: caninos, felinos.

Ciclo: Exige três hospedeiros para sua completa evolução, todas as mudas ocorrem fora do hospedeiro, as fêmeas põem cerca de 4000 ovos..

Importância: causa irritação e espoliação sanguinea, anemia, é transmissor de Bebesia canis e Babesia equi.


19.2 - Argas miniatus

Morfologia: coloração castanho clara, corpo oval, tegumento preguiado, pêlos curtos e numerosos, os machos são semelhantes as fêmeas.

Hospedeiro: Aves.
20 - Família Democidae

20.1 Demodex

São muito pequenos, corpo vermiforme, corpo dividido em cabeça, tórax e abdome, rostro grande e saliente, 4 pares de patas curtas e grossas.



Hospedeiro: Cão, localizam-se nos folículos pilosos e glândulas sebáceas.

Ciclo: Durante sua evolução passam pelas fases de ovo, larva hexápoda, dois estágios ninfais octópodes e adulto.
21 - Sarcoptes: escabiose ( sarna)

Morfologia: face dorsal com espinhos, ventosas nas patas 1, 2, 3 e 4 no macho e nas patas 1 e 2 das fêmeas.
21.1 - Sarcoptes scabei ( ácaros que causam sarna)

Hospedeiros: homens e mamíferos.

Variedades: hominis, canis, bovis, ovis, caprae, equi, suis, cuniculi.

Localização: tecido cutâneo e galerias intra-epidérmica, alimentam-se sugando líquidos dos tecidos (linfa).

Ciclo: vivem nas galerias intra-dérmicas escavadas pelas larvas, ninfas e adultos. Para a escavação empregam as quelíceras e ficam aderidas à pele do hospedeiro pelas ventosas das patas. Fêmeas e machos ocupam as galerias. Cada fêmea Poe dois ovos por dia durante dois meses depois morre. Os ovos são elípticos e de casca fina. A incubação dura de 3 a 5 dias, eclode uma larva hexápode, esta realiza três mudas antes de se tornar ninfa. Nove dias depois da eclosão surge a ninfa octópode, ninfas grandes são fêmeas, ninfas pequenas são machos. A ninfa após dois dias torna-se adulto. A fêmea em três dias transforma-se em fêmea ovígera. O ciclo completo vai de 10 a 14 dias.

Importância: responsável por irritação, coceira, formam-se pápulas, vesículas, a pele fica espessa e rugosa.
21.2 - Notoedres cati

Hospedeiros: gatos e coelho. O ciclo é semelhante ao anterior.
21.3 - Knemidocoptes ( sarna de galináceos)

Possuem a face dorsal desprovida de espinhos, ventosas presentes em todas as patas do macho e ausente nas fêmeas, são parasitas de aves. O macho apresenta o corpo ovóide. Localizam-se na pele, causam dermatites nas pernas, espessamento das escamas, perda de apetite, emagrecimento e morte.


22 - Família Psoroptidae

Apresentam corpo ovóide, rostro longo e cônico, patas mais longas.

Psoroptes – Ventosas em pedicelo longo e triarticulado.

Chorioptes e otodectes – Pedicelo simples e curto.



22.1 - Sarna psoróptica

Hospedeiros: Coelho, ovino, caprino, eqüino, bovino.

Localização: pavilhão auricular.

Ciclo: Não escavam galerias, a postura é na pele, nove dias após a postura do ovo do qual se originou. Após três dias eclode a larva, outros três dias torna-se ninfa. O estádio ninfal dura outros três dias. Há ninfas de dois tamanhos: a menor é macho e a maior é fêmea. A fêmea vive 30 a 40 dias, Poe 5 ovos por dia, o macho vive 30 dias. ciclo completo: 8 dias.

Os ácaros são muito resistentes e podem viver 20 a 30 dias fora do corpo.



Importância: Dermatose, irritação, queda de pêlos e lã, coceira, lesão, anemia e morte.
22.2 - Chorioptes

Ventosas em pedicelo curto e simples.



Hospedeiros: bovinos, ovinos, caprinos e eqüinos.

Ciclo semelhante ao da sarna psoroptes.


22.3 - Otodectes

Patas longas e espessas, ventosas em pedicelo curto e simples.



Hospedeiros: caninos, felinos (conduto auditivo)

Ciclo semelhante ao psoroptes.



Importância: Ataca geralmente cães, apresenta crostas. O animal sacode a cabeça e roça as orelhas. Há corrimento, os animais dão volta em círculos, pode perfurar o tímpano, causar surdez e morte.


Pág.


База данных защищена авторским правом ©shkola.of.by 2016
звярнуцца да адміністрацыі

    Галоўная старонка